3 de maio de 2017

ANTÓNIO GUTERRES APELA O FIM DE REPRESSÃO CONTRA JORNALISTAS


3 de Maio dia mundial da liberdade de imprensa


Os jornalistas vão para os lugares mais perigosos para dar voz aos que não têm voz. Os trabalhadores dos média sofrem assassinatos de caracter, agressão sexual, detenção, lesões e até mesmo morte.

Precisamos de líderes para defender uma imprensa livre. Isto é crucial para contrariar a desinformação dominante.

E precisamos que todos defendam o nosso direito à verdade.

No Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, apelo ao fim de todas as medidas de repressão contra jornalistas - porque uma imprensa livre promove a paz e a justiça para todos.

Quando protegemos os jornalistas, as suas palavras e imagens podem mudar o mundo.

2 de maio de 2017

A LGDH PROCEDEU A ENTREGA OFICIAL DOS CENTROS DE DETENÇÕES E ESTABELECIMENTOS PRISIONAIS REABILITADOS.



Na sequência do acordo de subvenção celebrado entre a LGDH e UNIOGBIS no dia 7 de Dezembro 2016, foram reabilitados os estabelecimentos prisionais de Bafata e Mansoa assim como os centros de detenções de Bafatá, Gabú, e Segunda Esquadra em Bissau.
O referido acordo permitiu também a aquisição de alguns produtos alimentares assim como colchões por forma a melhorar a situação dos prisioneiros.
A cerimónia de entrega oficial das referidas infraestruturas decorreu em Bafatá no passado dia 28 de Abril 2017, sob presidência do Secretário do Estado da Ordem Pública Dr. Francisco Ndur Djata, que, na sua intervenção, apelou aos agentes da POP para redobrarem os esforços com vista a preservação das infraestruturas reabilitadas assim como o uso adequado dos materiais e produtos alimentares doados.
Este responsável chamou atenção aos agentes da polícia para evitarem das práticas de torturas e outros tratamentos crueis e degradantes contra os detidos, tendo exortado maior colaboração entre as diferentes estruturas da polícia e as estruturas regionais da LGDH.
Por sua vez o Presidente da LGDH Sr. Augusto Mário da Silva, disse que a privação de liberdade não significa privação da dignidade, pois este último é inerente e indissociável da nossa qualidade de seres humanos, por isso, qualquer pessoa em situação de privação de liberdade deve poder gozar de todos os direitos fundamentais que não sejam incompatíveis com o conteúdo da pena ou medida de privação da liberdade  que lhe foi imposta. 
 




Disse ainda, que os estabelecimentos prisionais e centros de detenções não podem contrinuar a servir como espaços de degradação dos valores humanos e humanistas mas sim, de espaços de transformação e ressocialização das pessoas para as suas reintegrações ativas na sociedade.
Por fim, o Presidente da LGDH aproveirou a oportunidade para lançar um vibrante apelo às entidades responsáveis pela gestão das infraestruturas entregues no sentido de zelarem pelas suas manutenções e conservações, pois, seria a melhor forma de reconhecer os esforços despendidos pelos  parceiros para conferir um mínimo de dignidade às nossas celas.

Finalmente, endereçou a enorme gratidão da Liga à UNIOGBIS pelos apoios que tornaram possiveis a realização destas importantes intervenções.